segunda-feira, 29 de março de 2010

Questões

A intermitência dos meus sentimentos por ti põem-me em franja de nervos e de amor! Ora gosto de ti, ora quero-te longe, ora quero um beijo, ora quero a despedida, o para sempre, e depois quero o nunca. Tudo tão seguido que parece ser contínuo, este baile de desejos e quereres que nascem dentro de mim. Alma insatisfeita, que transforma uma frequência fraca e dura em algo que se desfaz, que escorre e forma a ininterrupta e quase invisível, mas constante, linha da nossa ligação. Nem com ela, nem sem ela.

4 comentários:

Neemi disse...

Sei bem como é essa indecisão. Mas talvez falar clarifique as coisas. E não é assim tão complicado, e depois podem daí vir coisas boas! Opta por falar =)vais ver que faz bem.

António disse...

O que importa é a intensidade do momento.
O que importa é a força do sentimento.
O que importa é o desejo incontrolável.
O que importa é o limiar dos sentidos.
O que importa…é vivermos

(convido-te a visitar-me...)
Beijos
António

Lady Me disse...

Neemi, ajudou falar! :) Obrigada!

António, obrigada!

Beijinhos*

Helga disse...

Quando se gosta é assim... uns dias ama-se e outros odeia-se. No fundo os dois sentimentos não vivem um sem o outro.

Beijinho :)