sábado, 5 de junho de 2010

Estava vazio...

Fugiu. Fugiu para lugar desconhecido. Fugiu porque aquele olhar que já lhe brilhara um dia, muitos dias, aquele olhar que já lhe transmitira paz e segurança, aquele olhar que era amor, carinho, ternura, se transformara. As palavras soaram duras, tão duras que nada as quebrou, a palavra, aquela da qual se arrepende todos os dias, soou arrepiante, cortou o silêncio daquela noite estrelada e que fora imaginada feliz mas cuja felicidade não se concretizou. A palavra, ecoou.
Odeio-te!
Odeio-te!
Odeio-te!
O olhar dele estava diferente, o olhar dele já não era terno nem meigo nem calmo nem brilhava nem tinha amor. O olhar dele gelou, o olhar dele estava vazio. E o dela ficou molhado, escorreu pela face e fê-la sentir-se sem norte, sem rumo, sem nada, o seu interior estava vazio. Só conseguia fazer uma coisa, gritar, gritar que não! Não o odiava, que era mentira. Que o queria mais perto do que nunca, mas da cabeça dela não saía o olhar vazio e gelado dele, da cabeça dela não saía o olhar mais triste e sincero que vira. Sentiu que o perdeu. Não como das outras vezes, desta vez era para sempre. O seu coração já não sentia nada, já não tinha esperança. Estava vazio como o olhar que viu naquela noite estrelada.

Texto para a Fábrica de Letras em resposta ao tema de Junho.


8 comentários:

D. R. disse...

Já senti isto.

Mas, felizmente, afinal não o tinha perdido para sempre...

I'm in love!

Beijinho*

Ava disse...

Fabuloso texto! Intenso e emocionante este texto parece que tem vida.
Muitos parabéns.

Beijinhos doces, Ava.

LuLu disse...

muito bom, temos que ver quando se encerram ciclos... muitas vezes são para o nosso bem, e com certeza vão se abrir portas com muitas oportunidades e muita felicidae!!!
adorei, vou estar seguindo vc...rs
espero uma visita no meu, quem sabe curte e tb fica por lá. Bjs Lu

LuLu disse...

muito bom, temos que ver quando se encerram ciclos... muitas vezes são para o nosso bem, e com certeza vão se abrir portas com muitas oportunidades e muita felicidae!!!
adorei, vou estar seguindo vc...rs
espero uma visita no meu, quem sabe curte e tb fica por lá. Bjs Lu

Helga disse...

O eco das palavras que se dizem sem querer, ás vezes transforma-se no abafo do momento certo em que foram ditas. O que dói, é o tempo que levamos a perceber isso.

Um beijinho :)

Eva Cidrack. disse...

Senti cada parte do seu texto, menina.
Quanta intensidade!

Lady Me disse...

Obrigada a todas! É muito importante saber que gostam :)

Poetic GIRL disse...

Muito bom, gostei... conseguis-te me fazer estremecer... bjs