terça-feira, 11 de maio de 2010

Mãos

As minhas mãos começam a dar sinais
Sinais de que estás a chegar
Elas tremem e transpiram
Que até parecem chorar
De alegria, ansiedade. Querem-te.
Apertar contra mim
Num envolvimento perfeito
Quase surreal, letal
Sinto um sufoco quase desesperado
Que fica trancado, entrelaçado
No desejo de ti.
Elas transpiram. Tenho medo.
Não recues. Não rejeites.
Fica, entrelaça, desespera, aperta.

4 comentários:

António disse...

Ansiedade da espera...

Beijinhos
António

D. R. disse...

Lindo, profundo,...

Desejado. :)

Pedro Pedrosa disse...

Gostei imenso!

Parabéns!

:)

alexandrapinto disse...

que LINDO ;')